Proxemic communication between undergraduate nursing students and newborns in neonatal unit: an exploratory-descriptive study
HTML

Keywords

communication
nursing care
infant
newborn
students
nursing

Abstract

Proxemic communication between undergraduate nursing students and newborns is essential for effective nurse assistance between the binomial. It aimed to characterize the proxemic communication between undergraduate nursing students and newborns. Exploratory-descriptive study carried out at the neonatal medium care unit (NMCU) of a public hospital of Fortaleza-Ceará-Brazil, from November/2009 to May/2010. The subjects were 22 students and 22 newborns. Two ways of interaction between students and newborns were described: face to face (12), sideways (10). Students adopted personal (12), social (8), intimate (2) distance. Students showed expression of tranquility (15), smile (4), tranquility and smile (2), indifference (1). While the newborns presented expression of tranquility (13), cry (7), indifference (2). Twenty-one students looked at the newborns, six spoke quietly, eleven normally, five remained in silence. The proxemic factors allow assessing the communication in NMCU, improving the students' assistance to newborns.

https://doi.org/10.5935/1676-4285.20103175
HTML

References

Santos CCV, Shiratori K. Comunicação não verbal: importância no cuidado de enfermagem. Enferm Global [periódico na Internet]. 2008; [2010 novembro 29]; 12(7): [cerca de 9 p.]. Disponível em: http://revistas.um.es/eglobal/article/view/912/912.

Bosquetti LS, Braga EM. Reações comunicativas dos alunos de enfermagem frente ao primeiro estágio curricular. Rev Esc Enferm USP. 2008;42(4):690-6.

Sadala MLA, Silva FM. Cuidando de pacientes em fase terminal:a perspectiva de alunos de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2009;43(2):287-94.

Farias LM, Cardoso MVLML, Oliveira MMC, Melo GM, Almeida LS. Comunicação proxêmica entre a equipe de enfermagem e o recém-nascido na unidade neonatal. Rev Rene. 2010;11(2):37-43.

Zeferino MT, Santos VEP, Wall ML, Rocha PK, Blois JM, Meireles BHS. Concepções de cuidado na visão de doutorandas de enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2008;16(3):345-50.

Paiva SS, Galvão MTF, Pagliuca LMF, Almeida PC. Comunicação não-verbal mãe/filho na vigência do HIV materno em ambiente experimental. Rev Latino-am Enfermagem. 2010;18(1):41-7.

Diniz MG. A comunicação não-verbal aplicada à hotelaria. Rev Eletr Cienc [periódico na Internet]. 2010; [2010 novembro 29]; 9(13/14): [cerca de 13 p.]. Disponível em: http://revistatema.facisa.edu.br/index.php/revistatema/article/viewFile/33/51

Hall ET. A dimensão oculta. Lisboa: Relógio D’agua; 1986.

Vasconcelos SG, Paiva SS, Galvão MTG. Comunica¬ção proxêmica entre mãe e filho em alojamento conjunto. Rev Enferm UERJ. 2006;14(1):37-41.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 196, de 10 de outubro de 1996. Dispõe sobre diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Bioética. 1996;4(2Suppl):15-25.

Fonseca LMM, Leite AM, Mello DF, Dalri MCB, Scochi CGS. Semiotécnica e semiologia do recém-nascido pré-termo: avaliação de um software educacional. Acta Paul Enferm. 2008;21(4):543-8.

Oliveira MMC, Barbosa AL, Galvão MTG, Cardoso MVML. Tecnologia, ambiente e interações na promoção da saúde ao recém-nascido e sua família. Rev Rene. 2009;10(3):44-52.

Costa CR, Pacheco MT. O posicionamento dos recém-nascidos em UTI neonatal. In: IX Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e V Encontro Latino Americano de Pós-Graduação. [Internet]. 2010; [citado 2010 novembro 29]. Disponível em:

http://biblioteca.univap.br/dados/INIC/cd/epg/epg4/epg4-105.pdf

Pizzoli LML. Qualidade de vida no trabalho: um estudo de caso das enfermeiras do Hospital Heliópolis. Ciênc Saúde Coletiva. 2005;10(4):1055-62.

Braga EM, Silva MJP. Como acompanhar a progressão da competência comunicativa no aluno de Enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2006;40(3):329-35.

Galvão MTG, Paiva SS, Sawada NO, Pagliuca LMF. Análise da comunicação proxêmica com porta-dores de HIV/AIDS. Rev Latino-am Enfermagem. 2006;14(4):491-6.

Stefanelli MC, Carvalho EC. A comunicação nos diferentes contextos da enfermagem. Barueri, SP: Manole; 2005.

Souza CF. A enfermagem e o cliente traqueostomizado: uma proposta de comunicação entre o cliente, a família e equipe de enfermagem [monografia]. Santa Catarina (SC): Centro de Ciências da Saúde, Universidade do Vale do Itajaí, Santa Catarina; 2007.

Lélis A, Farias L, Rebouças C, Cardoso M. Health promotion and nurse facing newborn pain in the neonatal unit: an exploratory-descriptive study. Online Brazilian Journal of Nursing [serial on the Internet]. 2010 November 19; [Cited 2010 December 13]; 9(2):[about ## p.]. Available from: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/2996

Silva MF, Silva MJP, Menezes MAP. Análise dos Fa¬tores Proxêmicos na interação dos profissionais de saúde com os pacientes queimados. Rev Paul Enferm. 2006;21(1):4-10.

Leite AM, Silva IA, Scochi CGS. Comunicação não-verbal: uma contribuição para o aconselhamento em amamentação. Rev Latino-am Enfermagem. 2004;12(2):258-64.

Cruz DCS, Suman NS, Spíndola T. Os cuidados imediatos prestados ao recém-nascido e a promoção do vínculo mãe-bebê. Rev Esc Enferm USP. 2007;41(4):690-7.

Farias LM, Cardoso MVLML, Silveira IP, Fernandes AFC. Comunicação proxêmica entre mãe e recém-nascido de risco na unidade neonatal. Rev Rene. 2009;10(2):52-7.

Menon D, Martins AP, Dyniewcz AM. Condições de conforto em paciente internado em UTI neonatal. Cad Esc Saúde Enferm [periódico na Internet]. 2008; [2010 novembro 29]; (1): [cerca de 15 p.]. Disponível em: http://apps.unibrasil.com.br/revista/index.php/saude/article/view/72/65